Simulação de assalto, menino foi raptado, mantido em cativeiro e assassinado

No final dos anos 1990, o menino, I. O. (identidade preservada), foi raptado de de dentro de sua casa, mantido em cativeiro e morto por pessoas que trabalhavam com seu pai. Depois os pais tiveram uma nova filha que eles acreditavam ser a reencarnação do filho morto.

A vítima era filho de Masataka Ota, um rico empresário das famosas lojas de R$1,99, que foram muito populares no Brasil nos anos 1990. Os ganhos do empresário chamaram a atenção de um dos seus funcionários, Paulo Tarso, policial que trabalhava como segurança de uma das lojas.

Então, em 29 de agosto de 1997, o motoboy Adelino Esteves fingindo ser entregador bateu na porta da casa da família da criança e simulou um assalto, trancou a babá em um quarto e fugiu com menino.

No dia seguinte, a família recebeu o primeiro pedido de resgate, um valor em torno de 800 mil dólares. Três dias depois, um novo contato foi feito, para saber se o menino estava bem, algumas perguntas foram feitas pelos familiares, sobre acontecimentos que apenas eles tinham conhecimento, mas elas não eram respondidas corretamente.

A polícia conseguiu descobrir de onde vinham as ligações que faziam e assim conseguiram prender Adelino.

Paulo Tardo foi chamado para depor, mas se enrolou em seu depoimento, e assim também foi preso.

Na residência de Adelino, os investigadores encontram um desnível recente perto do local onde ficava o berço da sobrinha do criminoso. Lá foi descoberto o corpo da vítima.

Assim, Adelino contou a polícia que quando levou o garoto para sua casa, ele imediatamente reconheceu Paulo Tarso. Então, o homem sedou o menino, o colocou na cova e deu dois tiros fatais no rosto da criança.

Em junho de 1998, Paulo, foi condenado a pena de 43 anos e dois meses de prisão. Adelino foi condenado a 45 anos e seis meses por. Desde 2005 eles cumprem a pena em semiaberto.

Massataka Ota e Keiko Ota, pais do menino, souberam que teriam um outro filho quatro meses depois do crime. Nasceu, então, uma menina, que depois de algum tempo fez os casal acreditar que era seria a reencarnação do filho morto. Eles na época relataram histórias impressionantes da menina que os fizeram ter certeza de que ela seria a reencarnação. Segundo Massataka, até o médium Chico Xavier teria confirmado isso.

Masataka Ota, pai do menino, morreu de câncer no início deste ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *