Nannie Doss, a vovó risonha que matou 11 pessoas

Nannie Doss, a serial killer que foi apelidada de “vovó risonha” , pois não parava de rir em seu interrogatório, enquanto relatava que matou 11 pessoas, sendo estas: quatro maridos, duas filhas, uma irmã, duas sogras e dois netos.

Nannie e sua mãe odiavam o pai James, pois era um homem autoritário. A rigidez de James, na cabeça dele, era para evitar abusos sexuais, mas, não impediu que Nannie fosse molestada por vários homens na adolescência.

Aos 16 anos Nannie se casou com Charlie Braggs, um alcoólatra. Em 1927, após nascer a última filha de Nannie, dois filhos do casal faleceram por suspeitas de intoxicação alimentar. Charlie acreditava que Nannie teria as matado. Com essas suspeitas, Charlie saiu de casa e levou com ele a filha mais velha, deixando a recém-nascida em casa. Ele pediu o divórcio, pois tinha medo da esposa. Nannie voltou para a casa de sua mãe com suas filhas.

Com 24 anos, Nannie casou-se com o operário Robert Harrelson, outro alcoólatra. Já crescida, Melvina, a filha mais velha de Nannie, engravidou e acabou dando à luz uma menina prematura. Nannie teria “ajudado” no parto, mas o bebê não resistiu e acabou falecendo. Melvina, no pós-parto, falou ter alucinado e visto a mãe enfiando uma agulha na cabeça de sua filha. Florine, a caçula, disse que Nannie teria simplesmente alegado que a sua neta estava morta e, curiosamente, portava uma agulha nas mãos.

Isso nunca ficou esclarecido. Certo dia, Melvina teria deixado o seu outro filho, Robert, aos cuidados de Nannie. Quando voltou, Nannie lhe deu a triste notícia de que seu filho havia morrido. A autópsia concluiu que o falecimento se deu por asfixia, mas por causas não conhecidas.

Em 1945, após a comemoração ao fim da 2ª Guerra Mundial, o seu marido Robert voltou para casa e estuprou Nannie. A viúva negra colocou veneno de rato no whisky Robert e ele veio a óbito.

Então, Nannie casou-se pela terceira vez com um sujeito chamado Arlie Lanning, logo após o casamento, o seu ele também faleceu supostamente por insuficiência cardíaca (envenenamento por arsênico). Com o dinheiro do seguro de vida do marido, Nannie depois, ainda assassinou a mãe idosa de Arlie.

Depois desses dois homicídios, Nannie foi à casa de sua irmã Dovie. Ao chegar à residência, verificou que a mulher estava dormindo. Ela nunca mais acordou.

Passados alguns dias, a assassina conheceu o seu quarto marido, Richard Morton, em uma boate. Quando a mãe de Morton mudou-se para a casa do casal em 1953, Nannie decidiu envenená-la. Morton três meses depois perderia a sua vida.

O quinto e último marido foi Samuel Doss. Casaram-se em 1953. No mesmo ano, Doos foi internado e os médicos identificaram uma gravíssima intoxicação em seu aparelho digestivo. Após um mês foi concedida a sua alta. Na noite de sua liberação, Nannie o matou em casa.

Mas um médico local suspeitou do motivo pelo qual Doss, que havia recentemente recebido alta hospitalar, falecera. Solicitou, então, uma autópsia em seu corpo. Para sua surpresa, foi constatada uma quantidade assustadora de arsênico em seu organismo.

A polícia foi chamada e Nannie presa. Ela confessou os crimes e ao lembrar dos ocorridos, começou a rir sem parar, o que a levou a ficar também posteriormente conhecida como The Giggling Granny (A Vovó Risonha).

Nannie afirma que aos 7 anos de idade, durante uma viagem de trem ela teria batido a cabeça. A explicação não convenceu.

Nannie Doss foi condenada à prisão perpétua pelo homicídio do quinto marido (Samuel Doss). Ela jamais foi julgada pelos outros crimes.

Nannie morreu de leucemia em 02 de junho de 1965, exatamente 10 anos após ter sido presa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *